quinta-feira, março 03, 2005

Leões de Tolstoi

UM NOVO BLOG AQUI.

Não sabemos muito bem como nascemos, nós, os Leões de Tolstoi. Nascemos numa mesa do bar da faculdade. Voltamos a nascer durante as noites que fazíamos quentes de um Inverno gelado no Bairro Alto. Mas também nascemos em Salvador da Bahia. No Morro de São Paulo e por aí. E nascemos hoje, embora já tivéssemos nascido há muito. Conhecemo-nos há cinco anos, quando começamos o curso, mas nascemos Leões só quando o acabamos. Partilhámos noites, livros, conversas e cigarros. Dividimos angústias pequenas, risos intensos, bebedeiras apoteóticas. Somos os Leões de Tolstoi. “Há quem passe pelo bosque e só veja lenha para a fogueira.” Talvez o nosso mal seja esse: passamos pelo bosque e vemos tudo, menos a lenha para a fogueira. Mas, para o bem e para o mal, seremos assim, leões de Tolstoi.

POR Laura de Oliveira * Bruno Fraga Braz * João Maurício

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Acontece que eu sou baiano


Acontece que eu sou baiano
Acontece que ela não é
Acontece que eu sou baiano
Acontece que ela não é

Mas, tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, meu senhor São José
Tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, ninguém sabe o que é!

Há tanta mulher no mundo, só não casa quem não quer
Por que é que eu vim de longe, pra gostar dessa mulher
Por que é que eu vim de longe, pra gostar dessa mulher?

Essa que tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, meu senhor São José
Essa que tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, ninguém sabe o que é!

Acontece que eu sou baiano,
Acontece que ela não é
Acontece que eu sou baiano,
Acontece que ela não é

Já plantei na minha porta, um pezinho de guiné
Já chamei um pai-de-santo, pra benzer essa mulher
Já chamei um pai-de-santo, pra benzer essa mulher!

Essa que tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, meu senhor São José
Essa que tem um requebrado pro lado
Minha Nossa Senhora, ninguém sabe o que é

(E ninguém sabe o que é...)
Dorival Caymmi

segunda-feira, fevereiro 07, 2005

Estado em que se encontrará este blog (e o seu autor) até dia 23


URGENTE: Precisa-se de assessor de imprensa eclesiástico

Só acredito numa modernização da Igreja Católica quando Roma exigir que os padres não falem sobre matérias sensíveis com jornalistas, a não ser que o façam assistidos por assessores de imprensa. Isto a propósito das declarações de um tal padre, Loreno, ou Loreto, ou que é!

Mainardi

-Escreveu um texto sobre o seu filho, que sofre de paralisia cerebral, incomoda-o que falem sobre o assunto?
- É meu assunto predilecto. Se pudesse, só falaria sobre ele.


Diogo Mainardi, em entrevista à Sábado. Via Xanelcinco.

Querer Caetanear

Pai e mãe
Ouro de mina
Coração
Desejo e sina
Tudo mais
Pura rotina
Jazz
Tocarei seu nome
Pra poder falar de amor
Minha princesa
Art-nouveau
Da natureza
Tudo o mais
Pura beleza
Jazz
A luz de um grande prazer
É irremediável néon
Quando o grito do prazer
Açoitar o ar: reveillon
O luar
Estrela do mar, o sol e o dom
Quiçá
Um dia, a fúria desse front
Virá lapidar
O sonho até gerar o som
Como querer caetanear
O que há de bom

Sina, Djavan

domingo, fevereiro 06, 2005

Pequenas Coisas

O blogue das Legislativas da SIC está cheio tem uma série de informações úteis. A saber: se o programa do PCP diz que há uma actividade na lota de Matosinhos às 11 horas, Jerónimo de Sousa chega pontualmente; Sócrates foi mal acolhido (ou pouco acolhido) em Portimão; e, last but not de least, que Paulo Portas ainda não tirou a gravata, o que, a acontecer, só poderia ter acontecido no Palácio de Cristal.

Sabia que...?


No Brasil, existe o verbo caetanear?

Samba de enredo, a pedido de muitas famílias


Ô Abre alas que eu quero passar
Ô abre alas que eu quero passar
Eu sou da Lira não posso negar
Rosa de Ouro é quem vai ganhar

O teu cabelo não nega, mulata
Porque és mulata na cor
Mas como a cor
Não pega, mulata
Mulata, eu quero o teu amor

Linda morena, morena
Morena que me faz penar
A lua cheia, que tanto brilha
Não brilha tanto o teu olhar.

Um pierrot apaixonado
Que vivia só cantando
Por causa de uma colombina
Acabou chorando, acabou chorando

Mama, mama, mamãe eu quero
Mamãe
Mamãe eu quero
Mamãe
Mamãe eu quero mamar
Dá a chupeta, dá a chupeta
Dá a chupeta, pro bebê não chorar

Yes, nós temos banana
Banana pra dar e vender
Banana, menina
Tem vitamina
Banana engorda e faz crescer

Ô jardineira, por que estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu
Foi a camélia que caiu do galho
Deu dois suspiros e depois morreu

Vem, jardineira, vem meu amor
Não fique triste
Que este mundo é todo seu
Tu é muito mais bonita
Que a camélia que morreu

Allah-lá-ô, ô ô ô , ô ô ô
Mas que calor ô ô ô, ô ô ô
Atravessando o deserto de Saara
O sol estava quente
E queimou a nossa cara
Allah-lá-ô, ô ô ô, ô ô ô

Com pandeiro ou sem pandeiro
Ê, ê, ê, ê,
Eu brinco
Com dinheiro ou sem dinheiro
Ê, ê, ê, ê
Eu brinco
Com pandeiro ou sem pandeiro
Ê, ê, ê, ê
Eu brinco
Com dinheiro ou sem dinheiro
Ê, ê, ê, ê
Eu brinco

As águas vão rolar
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar
Eu passo a mão na saca saca saca-rolha
E bebo até me afogar
(Deixa as águas rolar)
As águas vão rolar
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar
Eu passo a mão na saca saca saca-rolha
E bebo até me afogar

Quem sabe, sabe
Conhece bem
Como é gostoso
Gostar de alguém
Quem sabe, sabe
Conhece bem
Como é gostoso
Gostar de alguém

Guará, Guará, Guará, Guará
Melhor motorista não há
Guará, Guará, Guará, Guará
Melhor motorista não há

Ei
Você aí, me dá um dinheiro aí
Me dá um dinheiro aí
Ei
Você aí, me dá um dinheiro aí
Me dá um dinheiro aí

Ê, ê, ê, ê, índio quer apito
Se não der pau vai comer
Ê, ê, ê, ê, índio quer apito
Se não der pau vai comer

Quem não chora não mama
Segura meu bem a chupeta
Lugar quente é na cama
Ou então no Bola Preta

Se a canoa não virar
Olê olê olá, eu chego lá
Se a canoa não virar
Olê olê olá, eu chego lá

Não se perca de mim, não se esqueça de mim
Não desapareça
A chuva tá caindo e quando a chuva começa
Eu acabo de perder a cabeça
Não saia do meu lado
Segure o meu pierrot molhado
E vamos embora ladeira abaixo
Acho que a chuva ajuda a gente a se ver
Venha, veja, deixa, beija, seja o que Deus quiser

sábado, fevereiro 05, 2005

O melhor post de sábado

O das 4:30PM. Aqui.

quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Contagem decrescente

3, 4, 5, 6, 7, 8 de Fevereiro de 2005

quarta-feira, fevereiro 02, 2005

Notícias do Mundo Hoje (versão actualizada a 1 de Fevereiro de 2005)


Eleven conflict situations around the world deteriorated in January 2005, according to the new edition of CrisisWatch. The Philippines saw the worst fighting of the 17-month "truce" between the government and the Moro Islamic Liberation Front. Violence in Pakistan's province of Balochistan left 12 dead and half the country's natural gas supply disrupted. And as CrisisWatch went to press, King Gyanendra of Nepal announced the disbandment of government, his intention to rule alone for three years, and intensified military action against Maoist rebels. The situations in Bangladesh, Ethiopia/Eritrea, Guinea, India (non-Kashmir), Kazakhstan, Kyrgyzstan, Swaziland and Tajikistan also deteriorated in January. Six conflict situations improved. In the Middle East, the election outcome in Iraq and renewed contacts between Israeli and Palestinian officials were both encouraging signs. Sudan's north-south peace was consolidated with the official signing of the Naivasha deal on 9 January; however, the grave crisis in Darfur remains. Government-rebel relations in Indonesia and Sri Lanka post-tsunami also showed improvement, as did the situation in Central African Republic. For February 2005, CrisisWatch identifies Bangladesh as a Conflict Risk Alert, or a situation at particular risk of new or significantly escalated conflict in the coming month. CrisisWatch sees no Conflict Resolution Opportunities for February. International Crisis Group

Nota de imprensa

Todos sabemos que a imprensa carioca é mais sensacionalista que a paulista. Mas o modo como os primeiros têm anfatizado o assalto de que William Bonner e Fátima Bernardes (o casal apresentador do jornal nobre da Globo) é assustador. Todos os passos do processo têm sido acompanhados melos media locais. Lendo a edição on-line de O Globo, até parece que os assaltos são uma novidade no Rio de Janeiro. Na sua edição de ontem, fechada antes da notícia do assalto dos Bonner, o Diário de São Paulo destacava um relatório sobre a violência nas grandes cidades: São Paulo batia o Rio em sequestros em mais de 1100 por cento. Mas mesmo assim, a taxa carioca era elevadíssima. O diário O Globo descobriu hoje a pólvora e, dessa forma, aproveita para subir um pouco mais as audiências dando visibilidade ao Jornal Nacional, cujo share é de cerca de 50 por cento.

Come Back To Camden, Morrissey, com uma little private


There is something I wanted to tell you
It's so funny you'll kill yourself laughing
But then I, I look around
And I remember
That I am alone, Alone.
For evermore

The tile yard all along the railings
Up a discoloured dark brown staircase
Here you'll find, despair and I
Calling to you with what's left
Of my heart, My heart
For evermore

Drinking tea with the taste of the Thames Sullenly on a chair on the pavement
Here you'll find
My thoughts and I
And here is the very last plea
From my heart, My heart
For evermore


Where taxi drivers never stop talking
Under slate grey Victorian sky
Here you will find, despair and I
And here I am
Every last inch of me is yours, Yours
For evermore

Your leg came to rest against mine
Then you lounged with knees up and apart
And me and my heart
We knew, We just knew
For evermore


Where taxi drivers never stop talking
Under slate grey Victorian sky
Here you'll find
My heart and I
And still we say come back
Come back to Camden
And I'll be good, I'll be good
I'll be good, I’ll be good

Um dos filmes da minha vida


Los Olvidados, Luís Buñuel, México, 1950
Pode gostar-se de um livro. De um filme. Pode gostar-se do livro porque fala do filme. O inverso também é válido. Los Olvidados é, também por isso, um dos filmes da minha vida. Vê-lo numa má cópia, em cinzento e com muitos grãos, com riscos a dançarem no ecrã.

Quando as fórmulas falham ou Tentando imitar Mainardi

Folha de São Paulo - Quais dessas características você acha que tem seu blog: pessimismo, otimismo, bom humor, mau humor, misticismo, moralismo, anglofilia, 'antibrasileirismo', liberalismo, catolicismo, cristianismo, classicismo, ironia, passadismo.

ASS - Antibrasileirismo, sim. E anglofilia. Me pergunto se há hospitais que tratem anglofilia extrema. Uma ala de indianos dizendo 'old boy' e 'By Jove!'. Humm.

Carnaval

- Queria uma máscara do Santana Lopes, se-fá-xavor.
- Esgotaram, lamento.


O Sampaio tem destas ideias geniais: marcar eleições para o Carnaval. Como se fosse preciso...

Ainda ASS

Três quinze! O que anda a ler o homem que não gosta mesmo de literatura brasileira?

Mariana, parece-me que te encontrei um companheiro para o teu preconceito em relação à escrita brasileira. Comecei a ler livros porque era a melhor maneira de aprender a escrever e a falar bem. Agora que já sei escrever e falar bem, não posso correr o risco de deitar tudo pela janela a ler um livro escrito por alguêm desse país. M.